Sebrae e Embrapa se reunem para ampliar o projeto Balde Cheio

17 mai

Na última sexta, dia 14 de junho, o gerente da Unidade de Atendimento Coletivo – Agronegocios do Sebrae Nacional, Paulo Alvim, e a analista que coordena a carteira de leite e derivados, Fátima Lamar, estiveram reunidos com a Diretoria da Embrapa Pecuária Sudeste em São Carlos/SP com o objetivo de formatar a parceria entre as duas instituições para ampliação da utilização do Projeto Balde Cheio nos projetos da carteira.

A ideia foi muito bem recebida pela Embrapa, que mostrou o grande avanço da metodologia através do SEBRAE. Com isso, já temos algumas ações delineadas como, por exemplo, a formação de técnicos para atuarem nos projetos da região nordeste, uma missão técnica para os gestores, a publicação da cartilha Sítio Esperança que será disseminada para todos os produtores de leite dos projetos do SEBRAE, em torno de 5.000 produtores e a confecção do Kit Balde Cheio.

Conheça mais sobre o Balde Cheio nesse vídeo do Pequenas Empresas, Grandes Negócios

Produtor Rural que foi beneficiado pelo projeto Balde Cheio (clique na imagem para ver o vídeo)

Fátima Lamar – Sebrae Nacional

About these ads

15 Respostas para “Sebrae e Embrapa se reunem para ampliar o projeto Balde Cheio”

  1. José Meireles junho 14, 2010 às 15:05 #

    TENHO UM PEQUENO SÍTIO (10 ALQUERES) NO MUNICIPIO DE LUZIÂNIA-GO., GOSTARIA DE SABER COMO INGRESSAR NESSE PROJETO BALDE CHEIO. GOSTARIA DE SABER TAMBÉM:
    SE TEM ASSISTENCIA TÉCNICAS;
    ORIENTAÇÃO NO BENECIFICIAMENTO E VENDA DO PRODUTO;
    TREINAMENTO E OUTROS.

  2. tereza cristina Rodrigues Pereira junho 20, 2010 às 20:22 #

    Preciso de orientação para aumentar minha produção e mantê-la estável.Qual a quantidade de vacas,novilhas.Quero saber mais sobre esse programa BALDE CHEIO ,na região sudeste…

    grata,

  3. Loren Araujo julho 2, 2010 às 18:57 #

    Eu sou uma pequena produtora de leite,e gostaria de receber a cartilha do projeto balde cheio, e gostaria que se tiver fazer um curso exclusivo sobre a fabricação de queijo, por favor, desde já agradeço sua atenção. Moro na Paraiba, em Itapororoca.

  4. josival jose dos santos agosto 4, 2010 às 16:56 #

    Sou um pequeno tirador de leite aqui no estado de goias e gostaria de saber sobre o projeto balde cheio , pois tenho dificuldade em fazer minhas vacas produzi como deve ser .
    atenciosamente .
    Josival Jose dos Santos

  5. Osmar Tavares outubro 11, 2010 às 10:40 #

    Gostaria de obter informações, e como participar, pois na minha região tem bastante criador de gado de leite, mas são todos individuais não tem uma associação em fim, gostaria de ter, mas informações, pois sofremos muito com muita perda e falta de técnicas corretas.
    Osmar Tavares
    Porangatu – GO
    61 99549380

    • Editor outubro 14, 2010 às 09:24 #

      Sr. Osmar é necessário procurar o SEBRAE/GO – Unidade de Agronegócios (62 – 3250.2000). Lá eles dão as informações de como são atendidos os produtores de leite do Estado, que não fazem parte de um grupo de produtores inseridos em projetos. Ele pode também procurar a Embrapa Pecuária Sudeste – Projeto Balde Cheio, pois os mesmos organizam várias parcerias com prefeituras, associações para utilização da metodologia. No caso específico do Sr. Osmar, que quer um atendimento personalizado, terá que ver com o Sebrae/GO.

      Fátima Lamar é responsável por projetos de leites e derivados do Sebrae.

  6. LUIZ COTA outubro 14, 2010 às 11:12 #

    TENHO UM SITIO COM 12 ALQUERES EM ALIVINOPOLIS-MG, COM PRODUCAO DE 50 LITROS DIAS COM 12 VACAS EM LACTACAO, DIARIAMEMTE. ENTRETANDO NAO CONSEGUIMOS AUMENTAR A PRODUCAO. E AI OUVIR FALAR SOBRE O BALDE CHEIO ONDE OS PRODUTORES CONSEGUEM MULTIPLICAR A PRODUCAO, COM BONS MANEJOS DE PASTGAGENS E ANIMAIS. AQUI EM ALVINOPLOIS TEM ESTE PROJETO? QUEM COORDENA? GOSTARIA DE TER INFORMACOES PARA TENTAR IMPLANTAR AQUI NO SITIO.

    • Editor outubro 14, 2010 às 13:51 #

      Prazado Luiz, o Projeto Balde Cheio em Minas Gerais é executado em parceria com a FAEMG – Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais.
      O Sr. deve entrar em contato com a Instituição para saber em quais municípios eles estão atuando e como deve proceder para fazer parte do Programa.

      Fátima Lamar é responsável por projetos de leites e derivados do Sebrae.

  7. Varlei dos Santos Júnior novembro 1, 2010 às 14:31 #

    Sou Técnico em Pecuaria desde 2005 pela Escola Agrícola de Jacarei, tenho 41 anos.
    Gostaria de saber como fazer pare deste projeto como multiplicador, através de cursos e/ou parcerias?
    Já conheço o trabalho do Arthur Chinelato em uma propriedade de Pindamonhangaba de 2hectares, e fiquei impressionado!
    Desde já agradeço e fico no aguardo!Se possível em meu e-mail.

  8. Varlei dos Santos Júnior novembro 1, 2010 às 14:33 #

    Sou Técnico em Pecuaria desde 2005 pela Escola Agrícola de Jacarei, tenho 41 anos.
    Gostaria de saber como fazer parte deste projeto como multiplicador, através de cursos e/ou parcerias?
    Já conheço o trabalho do Arthur Chinelato em uma propriedade de Pindamonhangaba de 2hectares, e fiquei impressionado!
    Desde já agradeço e fico no aguardo!Se possível em meu e-mail.

  9. lucas novembro 2, 2010 às 20:28 #

    eu desejo saber de vocês quais são as pessoas habilitadas a fazer parte do quadro de técnicos do projeto, se só podem os de nivel superior ou se técnicos de nivél médio também.

  10. Ewerton gualberto de souza setembro 25, 2011 às 19:18 #

    O meu nome e ewerton, sou tec agricola/administrador gostaria de fazer parte do grupo de tec. do balde cheio o que faço

  11. Rafael Fontanive fevereiro 6, 2012 às 13:43 #

    TENHO UM SÍTIO NO MUNICIPIO DE XANXERE-SC. GOSTARIA DE SABER COMO INGRESSAR NESSE PROJETO BALDE CHEIO. GOSTARIA DE SABER TAMBÉM:
    SE TEM ASSISTENCIA TÉCNICAS;
    COMO E FEITO O TREINAMENTO.RAFAEL.

    • Editor março 2, 2012 às 14:50 #

      Prezado Rafael,

      O Projeto Balde Cheio é uma metodologia criada pela Embrapa Pecuária Sudeste que visa transferir tecnologia que ajuda no desenvolvimento da pecuária leiteira em propriedades familiares.
      Seu objetivo é capacitar técnicos de extensão rural e produtores, promover a troca de informações sobre as tecnologias aplicadas regionalmente e monitorar os impactos sociais, econômicos e ambientais nos sistemas de produção.
      O SEBRAE a utiliza em alguns estados, infelizmente em Santa Catarina, não estamos fazendo uso da mesma.
      Nossa sugestão é de que procures uma unidade Embrapa em Xanxerê ou região e obtenha mais informações sobre o projeto.

      Estou copiando este email ao colega Gilson Alberto dos Santos, do SEBRAE/SC (48) 3221-0863, gilson@sc.sebrae.com.br, para informações complementares, caso necessário.

      Jose Altamiro
      Coordenador dos projetos de Leite e Derivados do SEBRAE Nacional

      Prezado Rafel,

      Complementando a informação do colega Altamiro, sugiro que procures pela EPAGRI (Unidade Regional ou local) para obter informações a respeito desse projeto. A informação que tenho é o projeto Balde Cheio, em Santa Catarina, é realizado em parceria com a EMBRAPA Gado de Leite e EPAGRI. Não sei dizer se há ou não grupos formados, mas li notícias de um grupo de produtores rurais catarinenses que visitaram a unidade demonstrativa de Nova Prata do Iguaçú (PR) a fim de conhecer a metodologia do projeto. Ainda, segundo informações obtidas junto a EMBRAPA Suínos e Aves, Unidade de Concórdia-SC, o Sr. Artur Chinelato (Embrapa Gado de Leite, unidade de São Carlos-SP – fone: (016) 3411-5600; artur@cppse.embrapa.br ) é o coordenador do Balde Cheio para a região Sul/Sudeste.

      Metodologia Balde Cheio

      O extensionista treinado pela equipe da Embrapa seleciona uma propriedade por município, para servir de referência aos demais produtores daquela região. A propriedade ‘sala de aula’ deve ter, preferencialmente, as seguintes características:

      • Pequeno porte (a partir de 0,5 ha)
      • Atividade leiteira como principal fonte de renda
      • Familiar, para que não haja interferência no aprendizado das pessoas envolvidas.

      Depois de a propriedade ser selecionada e aprovada pela equipe do projeto, o proprietário deverá responder um questionário que identificará, além de seu sistema de produção, aspectos relacionados à situação socioeconômica da família, bem como questões referentes ao ambiente.
      A visita de um instrutor credenciado pelo Projeto Balde Cheio ocorrerá a cada quatro meses durante quatro anos (tempo do projeto), totalizando 12 visitas de acompanhamento. Nessas visitas, além do instrutor credenciado, deverão estar presentes: o extensionista responsável pela Unidade Demonstrativa (UD)D e o produtor. A presença de mais pessoas, ou seja, outros técnicos e produtores de leite da região, deverá ser incentivada.
      O extensionista responsável deverá visitar UD na frequência mínima de uma vez por mês.
      O produtor de leite que aceitar ser uma UD terá o direito de ser assistido pelos técnicos do Projeto, desde que cumpra com as seguintes obrigações:.

      • Realizar, de imediato, exames para detecção de brucelose e tuberculose, descartando animais positivos.
      • Permitir que sua propriedade seja visitada por outros produtores e outros técnicos.
      • Fazer sempre o que for combinado entre os envolvidos.
      • Passar a anotar controles básicos relativos ao clima (chuvas e temperaturas máxima e mínima), às finanças (despesas e receitas com a atividade leiteira) e ao rebanho (parições, coberturas, pesagens mensais de fêmeas em crescimento e controles leiteiros, que nada mais são do que as pesagens ou medições, uma vez ao mês, do leite produzido por cada uma das vacas em lactação).

      Técnicas adequadas a cada propriedade serão propostas e discutidas por todas as pessoas presentes na visita quadrimestral. Dessa forma, possivelmente a solução mais viável será encontrada e a cada visita os problemas vão sendo solucionados e novas perspectivas acabam sendo vislumbradas.
      Para que o acompanhamento das UDs seja eficaz e a evolução do trabalho possa ser mensurada, alguns materiais e práticas serão necessários:

      1. Planilhas para preenchimento no campo pelo produtor, referentes aos controles climáticos, econômicos e zootécnicos.
      2. Análise do solo.
      3. Exames para detecção de brucelose e tuberculose.
      4. Levantamento plani-altimétrico detalhado da propriedade.
      5. Identificação dos animais com brincos numerados.
      6. Fita para pesagem de animais.
      7. Pluviômetro.
      8. Termômetro de máxima e mínima.
      9. Quadro circular para gerenciamento da reprodução do rebanho.
      10. Quadro circular para gerenciamento do desenvolvimento das fêmeas em crescimento.

      Os itens 1 e 2 ficarão sob responsabilidade do proprietário da UD. Como contrapartida por permitir que sua propriedade seja transformada numa “sala de aula prática”, as despesas decorrentes dos itens 3 a 10, ficarão a cargo do extensionista responsável pela UD ou da instituição ou empresa ao qual ele esteja vinculado, lembrando que o item 3 somente será pago no primeiro exame.
      O desempenho do extensionista será avaliado pela número de Propriedades Assistidas (PAs) exclusivamente por ele e pela qualidade do trabalho nessas propriedades. No grupo das PAs inclui-se todo tipo de propriedades, independentemente do porte, do tamanho do rebanho ou da condição sócioeconômica do proprietário.

      Principais tecnologias utilizadas
      Agropecuárias: uso intensivo de pastagens, em sistema de pastejo rotacionado; uso de sistemas de irrigação; sobre-semeadura de aveia ou de azevém em pastagens tropicais durante o período da seca; fornecimento de cana-de-açúcar com uréia como suplementação alimentar no período da seca; controle reprodutivo; controle sanitário no rebanho e uso de técnicas de melhoria do conforto e do bem-estar dos animais.
      Ambientais: recuperação e conservação da fertilidade do solo; plantio de árvores para formação ou renovação de matas ciliares; preservação de áreas de proteção permanente; controle de efluentes e ações de melhoria da qualidade da água.
      Gerenciais: controle zootécnico do rebanho; análise econômica da produção e acompanhamento contábil das propriedades participantes.

      Atenciosamente,

      Gilson Alberto dos Santos
      Unidade de Atendimento Coletivo
      Núcleo de Agronegócios e Desenvolvimento Territorial
      gilson@sc.sebrae.com.br
      (48) 3221-0863

  12. marcia melo março 1, 2012 às 14:09 #

    MARCIA MELO TENHO UM SITIO NO MUNICIPIO DE GOVERNADOR VALADARES,GOSTARIA D SABER COMO INGRESSAR NESSE PROJETO,.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: